Páginas

quinta-feira, 30 de julho de 2009

SOMOS PÁSSARO NOVO,LONGE DO NINHO...


É com grande felicidade que o LQM vem homenagear esta que foi a maior banda de todos os tempos(não apenas da última semana como bem colocado numa canção de outra excelente,Titãs). Renato Russo dispensa comentários na sua criação,talento,inteligência,senso de realismo e principalmente um visionário cujas músicas se eternizam e ainda continua em obras póstumas.Composições brilhantes divididas com os também talentosos Marcelo Bonfá(esquerda)e Dado Villa-Lobo(direita). Legião dispensava auditórios de TV,não precisava disso.Com muita dificuldade conseguia-se vê-lo às vezes no Globo de Ouro fazendo play-back.Mas Legião sempre foi mais do que isso e ultrapassa gerações que apreciam o rock de boa qualidade,que dizem algo que acrescentam,que nos fazem refletir e agir. Clássicos como "Será", "Tempo Perdido", "Que País é este?","Faroeste Cabloco","Vento no Litoral" e outras tantas e tantas em que só a simplicidade e originalidade de Renato para comentar num show,como fazer 53 sucessos com apenas 3 acordes.Saudades Renato,Legião,e que possam mudar para melhor a mente destes jovens de hoje que não sabem fazer um novo país,usar seus direitos por optar pelo mundo consumista,virtual e efêmero,com seus "Olhos Vermelhos",como bem dizia Guilherme Arantes há mais de 20 anos atrás.

Letras que Marcam é isso.Arte que nos faz refletir,crescer e mudar de atitude para nosso crescimento individual e coletivo.




Que País é Este
Legião Urbana
Composição: Renato Russo
Por: Manoel Andrade/BA


Nas favelas, no senado
Sujeira pra todo lado
Ninguém respeita a constituição
Mas todos acreditam no futuro da nação
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
No Amazonas, no Araguaia iá, iá,
Na Baixada Fluminense
Mato Grosso, nas Gerais e no
Nordeste tudo em paz
Na morte o meu descanso, mas o
Sangue anda solto
Manchando os papéis e documentos fiéis
Ao descanso do patrão
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
Terceiro mundo, se for
Piada no exterior
Mas o Brasil vai ficar rico
Vamos faturar um milhão
Quando vendermos todas as almas
Dos nossos índios num leilão
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?


Índios
Legião Urbana
Composição: Renato Russo
Por: Manoel Andrade/BA


Quem me dera
Ao menos uma vez
Ter de volta todo o ouro
Que entreguei a quem
Conseguiu me convencer
Que era prova de amizade
Se alguém levasse embora
Até o que eu não tinha

Quem me dera
Ao menos uma vez
Esquecer que acreditei
Que era por brincadeira
Que se cortava sempre
Um pano-de-chão
De linho nobre e pura seda

Quem me dera
Ao menos uma vez
Explicar o que ninguém
Consegue entender
Que o que aconteceu
Ainda está por vir
E o futuro não é mais
Como era antigamente.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Provar que quem tem mais
Do que precisa ter
Quase sempre se convence
Que não tem o bastante
Fala demais
Por não ter nada a dizer.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Que o mais simples fosse visto
Como o mais importante
Mas nos deram espelhos
E vimos um mundo doente.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Entender como um só Deus
Ao mesmo tempo é três
Esse mesmo Deus
Foi morto por vocês
Sua maldade, então
Deixaram Deus tão triste.

Eu quis o perigo
E até sangrei sozinho
Entenda!
Assim pude trazer
Você de volta pra mim
Quando descobri
Que é sempre só você
Que me entende
Do iní­cio ao fim.

E é só você que tem
A cura do meu vício
De insistir nessa saudade
Que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Acreditar por um instante
Em tudo que existe
E acreditar
Que o mundo é perfeito
Que todas as pessoas
São felizes...

Quem me dera
Ao menos uma vez
Fazer com que o mundo
Saiba que seu nome
Está em tudo e mesmo assim
Ninguém lhe diz
Ao menos, obrigado.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Como a mais bela tribo
Dos mais belos índios
Não ser atacado
Por ser inocente.

Eu quis o perigo
E até sangrei sozinho
Entenda!

Assim pude trazer
Você de volta pra mim
Quando descobri
Que é sempre só você
Que me entende
Do início ao fim.

E é só você que tem
A cura pro meu vício
De insistir nessa saudade
Que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Nos deram espelhos
E vimos um mundo doente
Tentei chorar e não consegui.

Nenhum comentário: