Páginas

sábado, 16 de fevereiro de 2013

AFRICANIZADOS

Africa

I hear the drums echoing tonight
But she hears only whispers of some quiet conversation
She's coming in 12:30 flight
The moonlit wings reflect the stars that guide me towards salvation
I stopped an old man along the way
Hoping to find some long forgotten words or ancient melodies
He turned to me as if to say, "Hurry boy, it's waiting there for you"

(Chorus)
It's gonna take a lot to drag me away from you
There's nothing that a hundred men or more could ever do
I bless the rains down in Africa
Gonna take some time to do the things we never had

The wild dogs cry out in the night
As they grow restless longing for some solitary company
I know that I must do what's right
Sure as Kilimanjaro rises like Olympus above the Serengeti
I seek to cure what's deep inside, frightened of this thing that I've become

(Chorus)

Hurry boy, she's waiting there for you

It's gonna take a lot to drag me away from you
There's nothing that a hundred men or more could ever do
I bless the rains down in Africa, I bless the rains down in Africa
I bless the rains down in Africa, I bless the rains down in Africa
I bless the rains down in Africa
Gonna take some time to do the things we never had

África

Ouço os tambores ecoando nesta noite
Mas ela ouve somente sussurros de alguma conversa discreta
Ela está chegando no voo das doze e trinta
As asas iluminadas pelo luar refletem as estrelas que me guiam para a salvação
Parei um velho no caminho
Na esperança de encontrar algumas palavras esquecida ou melodias antigas
Ele se vira para mim como se fosse disesse, "Depressa garoto, tudo está esperando você lá"

(Refrão)
Vai ser preciso muita coisa para me afastarem de você
Não há nada que uma centena de homens ou mais possa fazer
Abençoo as chuvas que caem na África
E vai levar algum tempo para fazer as coisas que nunca fizemos

Os cães selvagens uivam na noite
Enquanto ficam mais inquietos, esperando uma companhia solitária
Sei que devo fazer o que é certo
Evidente como o Kilimanjaro ostentar-se como o Monte Olympus sobre o Serengeti
Busco curar o que está bem aqui dentro, temendo esta coisa que me tornei

(Refrão)

Depressa garoto, ela está esperando por você lá

Vai ser preciso muita coisa para me afastarem de você
Não há nada que uma centena de homens ou mais possa fazer
Abençoo as chuvas que caem na África, abençoo as chuvas que caem na África
Abençoo as chuvas que caem na África, abençoo as chuvas que caem na África
Abençoo as chuvas que caem na África
Vai levar algum tempo para fazer as coisas que nunca fizemos


Composição: Toto 
Enviada por Professor Pardal 
Legendado por rafacorrea e outras 2 pessoas.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

RENASÇA A CADA DIA!

Independentemente se você brincou,fugiu,descansou no Carnaval,nada melhor do que numa quarta-feira de CINZAS,renascer para a vida,sentindo,mais do que ouvindo essa obra de arte em letra e canção:
https://www.youtube.com/watch?v=7ezMc8Uvb4I

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Cuide bem dele!

O Caderno

Toquinho

Sou eu que vou seguir você
Do primeiro rabisco
Até o be-a-bá.
Em todos os desenhos
Coloridos vou estar
A casa, a montanha
Duas nuvens no céu
E um sol a sorrir no papel...

Sou eu que vou ser seu colega
Seus problemas ajudar a resolver
Te acompanhar nas provas
Bimestrais, você vai ver
Serei, de você, confidente fiel
Se seu pranto molhar meu papel...

Sou eu que vou ser seu amigo
Vou lhe dar abrigo
Se você quiser
Quando surgirem
Seus primeiros raios de mulher
A vida se abrirá
Num feroz carrossel
E você vai rasgar meu papel...

O que está escrito em mim
Comigo ficará guardado
Se lhe dá prazer
A vida segue sempre em frente
O que se há de fazer...

Só peço, à você
Um favor, se puder
Não me esqueça
Num canto qualquer...(2x)


Composição: Toquinho / Mutinho 
Legendado por tecbeatriz e outras 2 pessoas.

Qual delas não é?


Mulher de Fases

Raimundos

Que mulher ruim
Jogou minhas coisas fora
Disse que em sua cama
Eu não deito mais não
A casa é minha
Você que vá embora
Já pra saia da sua mãe
E deixa meu colchão

Ela é pró na arte
De pentelhar e aziar
É campeã do mundo
A raiva era tanta
Que eu nem reparei
Que a Lua diminuía

A doida tá me beijando a horas
Disse que se for sem eu
Não quer viver mais não
Me diz Deus, o que é que eu faço agora?

Se me olhando desse jeito
Ela me tem na mão, meu filho aguenta
Quem mandou você gostar
Dessa mulher de fases?

Complicada e perfeitinha
Você me apareceu
Era tudo que eu queria
Estrela da sorte
Quando a noite ela surgia
Meu bem você cresceu
Meu namoro é na folia
Mulher de fases

Põe fermento, põe as bombas
Qualquer coisa que aumente
A deixe bem maior que o Sol
Pouca gente sabe que na noite
O frio é quente e arde e eu acendi

Até sem luz dá pra te enxergar
O lençol fazendo congo-blue
É pena, eu sei amanhã já vai miar
Se aguente que lá vem chumbo quente

Complicada e perfeitinha
Você me apareceu
Era tudo que eu queria
Estrela da sorte
Quando a noite ela surgia
Meu bem você cresceu
Meu namoro é na folia
Mulher de fases


Composição: Rodolfo / Digão / Fred / Canisso 
Legendado por GUI Oggioni e outras 2 pessoas.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

ILUSÃO DE UM POVO QUE FAZ TUDO E SE ACABA PELO CARNAVAL...

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=9A_JrsJF6mM

Vai Passar

Chico Buarque

Vai passar
Nessa avenida um samba popular
Cada paralelepípedo
Da velha cidade
Essa noite vai
Se arrepiar
Ao lembrar
Que aqui passaram sambas imortais
Que aqui sangraram pelos nossos pés
Que aqui sambaram nossos ancestrais

Num tempo
Página infeliz da nossa história
Passagem desbotada na memória
Das nossas novas gerações
Dormia
A nossa pátria mãe tão distraída
Sem perceber que era subtraída
Em tenebrosas transações

Seus filhos
Erravam cegos pelo continente
Levavam pedras feito penitentes
Erguendo estranhas catedrais
E um dia, afinal
Tinham direito a uma alegria fugaz
Uma ofegante epidemia
Que se chamava carnaval
O carnaval, o carnaval
(Vai passar)

Palmas pra ala dos barões famintos
O bloco dos napoleões retintos
E os pigmeus do bulevar
Meu Deus, vem olhar
Vem ver de perto uma cidade a cantar
A evolução da liberdade
Até o dia clarear

Ai, que vida boa, olerê
Ai, que vida boa, olará
O estandarte do sanatório geral vai passar
Ai, que vida boa, olerê
Ai, que vida boa, olará
O estandarte do sanatório geral
Vai passar


Composição: Chico Buarque e Francis Hime

EDITORIAL: SAUDADES DO CARNAVAL DE OUTRORA E PORCARIAS DA ATUALIDADE

Tem umas porcarias neste Carnaval baiano que sejamos sinceros,é o fundo do poço.Como é fácil ganhar dinheiro com coisas de má qualidade porque uns dão oportunidade.Este cantor MV desta banda psi que nada tem a ver com psicologia,muito pelo contrário é uma das maiores aberrações que ja vi na historia da chamada axé music.Tambem pudera,com aquele projeto de reporter que se acha linda ajudando a dar audiência,ainda dizem que "dois bicudos não se beijam".Que saudades de Gerônimo,Moraes Moreira,Lazzo,Armandinho,Luiz Caldas,Sarajane,Marcionilio,Paulinho Boca de Cantor quando reinavam soberanos antes desta decadência musical.E tem quem pague,e viva a democracia e a imbecilidade!!!!

sábado, 2 de fevereiro de 2013

SALVE YEMANJÁ -2 DE FEVEREIRO





Promessa de Pescador

Dorival Caymmi

Alodé Iemanjá odoiá!
Alodé Iemanjá odoiá!

Senhora que é das águas
Tome conta de meu filho
Que eu também já fui do mar
Hoje tou velho acabado
Nem no remo sei pegar...
Tome conta de meu filho
Que eu também já fui do mar

Alodé Iemanjá odoiá!
Alodé Iemanjá odoiá!

Quando chegar o seu dia
Pescador véio promete
Pescador vai lhe levar
Um presente bem bonito
Para dona Iemanjá...
Filho seu é quem carrega
Desde terra inté o mar

Alodé Iemanjá odoiá!
Alodé Iemanjá odoiá!



Salve Yemanjá! Neste sincrestimo religioso bem característico da Bahia e particularmente de Salvador de raízes negras e candomblecistas a despeito de tanta discriminação ainda imperante,sou grato por esta entidade tão bela e especial que tanto me ajudou.Sempre agradeço e peço quando me banho em qualquer que sejam as águas do mar em que cidade eu esteja e sempre me sinto protegido.Já tomei meus sustos e sua mão me ajudou a sair ileso.Pobres e Ricos se juntam na devoção,no respeito ou na simpatia,mesmo que não sejam praticantes.Alegria,presentes,oferendas e respeito ao meio ambiente faz parte da prátca racional de crenças e convivências.Salve 2 de Fevereiro. Me sinto em casa,morando aqui,literalmente,no Rio Vermelho!
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=VAux5ieVmaY#!


http://www.youtube.com/watch?v=kV_pDn46TcA

CHEIRO DE AMOR

com Marcia Freire!


sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

QUEM NÃO TEM?

O Ciúme

Caetano Veloso

Dorme o sol à flor do Chico, meio-dia
Tudo esbarra embriagado de seu lume
Dorme ponte, Pernambuco, Rio, Bahia
Só vigia um ponto negro: o meu ciúme

O ciúme lançou sua flecha preta
E acertou no meio exato da garganta
Quem nem alegre nem triste nem poeta
Entre Petrolina e Juazeiro canta
Velho Chico vens de Minas

De onde o oculto do mistério se escondeu
Sei que o levas todo em ti, não me ensinas
E eu sou só, eu só, eu só, eu
Juazeiro, nem te lembras dessa tarde
Petrolina, nem chegaste a perceber
Mas, na voz que canta tudo ainda arde

Tudo é perda, tudo quer buscar, cadê
Tanta gente canta, tanta gente cala
Tantas almas esticadas no curtume
Sobre toda estrada, sobre toda sala
Paira, monstruosa, a sombra do ciúme


Composição: Caetano Veloso

ACORDE E LEVANTE ESTA AUTOESTIMA JÁ!


Sentado à beira do caminho

Roberto e Erasmo Carlos

Eu não posso mais ficar aqui
A esperar!
Que um dia de repente
Você volte para mim...

Vejo caminhões
E carros apressados
A passar por mim
Estou sentado à beira
De um caminho
Que não tem mais fim...

Meu olhar se perde na poeira 
Dessa estrada triste
Onde a tristeza
E a saudade de você
Ainda existe...

Esse sol que queima
No meu rosto
Um resto de esperança
De ao menos ver de perto
O seu olhar
Que eu trago na lembrança...

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo
Que eu existo, que eu existo...

Vem a chuva, molha o meu rosto
E então eu choro tanto
Minhas lágrimas
E os pingos dessa chuva
Se confundem com o meu pranto...

Olho prá mim mesmo e procuro
E não encontro nada
Sou um pobre resto de esperança
À beira de uma estrada...

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo
Que eu existo, que eu existo...

Carros, caminhões, poeira
Estrada, tudo, tudo, tudo
Se confunde em minha mente
Minha sombra me acompanha
E vê que eu
Estou morrendo lentamente...

Só você não vê que eu
Não posso mais
Ficar aqui sozinho 
Esperando a vida inteira
Por você 
Sentado à beira do caminho...

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo
Que eu existo, que eu existo...

Larará Larará Lararará!
Larará Larará Lararará!
Larará Larará Lararará!
Larará Larará Lararará!
Larará Larará Lararará!...


Composição: Roberto/Erasmo 
Enviada por Juliana Bentes