Páginas

sábado, 30 de julho de 2011

FELICIDADE É TUDO,SEMPRE ANTE QUALQUER ADVERSIDADE!

Rindo à Toa
Falamansa

Tô numa boa
Tô aqui de novo
Daqui não saio
Daqui não me movo
Tenho certeza
Esse é o meu lugar
Aah Aha
Tô numa boa
Tô ficando esperto
Já não pergunto
Se isso tudo é certo
Uso esse tempo pra recomeçar
Aah Aha
Doeu, doeu, agora não dói
Não dói, não dói
Chorei, chorei
Agora não choro mais
Toda mágoa que passei
É motivo pra comemorar
Pois se não sofresse assim
Não tinha razões pra cantar
Ha ha ha ha ha
Mas eu tô rindo à toa
Não que a vida
Esteja assim tão boa
Mas um sorriso ajuda a melhorar
Aah Aha
E cantando assim
Parece que o tempo voa
Quanto mais triste
Mais bonito soa
Eu agradeço por poder cantar
Lalaiá laiá laiá Iê
Escrevi seu nome na areia
O sangue que corre em mim sai da tua veia
Veja só
Você é a única que não me da valor
Então porque será que esse valor é o que eu ainda quero ter
Tenho tudo nas mãos mais não tenho nada
Então melhor ter nada e lutar pelo que eu quiser
É mais pera aê ouço o forró tocando e muita gente aê
Não é hora pra chorar
Porém não é pecado se eu falar de amor
Se eu canto sentimento seja ele qual for
Me leve onde eu quero ir
Se quiser também pode vir
Escuta meu coração que bate no compasso
Da zabumba de paixão
É pra surdo ouvir,
Pra cego ver
Que esse xote faz milagre acontecer
É pra surdo ouvir,
Pra cego ver
Que esse xote faz milagre acontecer
É pra surdo ouvir
Pra cego ver
Que esse xote faz milagre acontecer
É pra Surdo ouvir
Pra cego ver
Falamansa faz milagre acontecer
É pra surdo ouvir
Pra cego ver
Falamansa faz milagre acontecer
É pra surdo ouvir
Pra cego ver
Que esse xote faz milagre acontecer
É pra surdo ouvir
Pra cego ver
Que esse xote faz milagre acontecer

quinta-feira, 28 de julho de 2011

PARA OS JUÍZES QUE JULGAM PRECIPITADAMENTE!

Família diz que Amy Winehouse morreu de abstinência






A família de Amy Winehouse divulgou hoje acreditar que a cantora morreu em devido a uma forte abstinência. Segundo o jornal "The Sun", ela teria parado de beber abruptamente há cerca de três semanas, ignorando conselhos médicos de largar o vício gradualmente, para evitar que o corpo sofresse um choque muito violento.

Ainda segundo a imprensa inglesa, Winehouse teve uma consulta médica um dia antes da morte e foi considerada saudável.

SIMPLES ASSIM

CHINELA
(Ademir do Ararí)
Por Fábio Pacheco/BA

Entrei numa grife
quando eu vi a chinela
Chinela tão linda
chinela querida
sei que vais fazê
parte da minha vida

Fiquei admirado
fiquei pobre coitado
a olhar a chinela
chinela querida
sei que vafais fazê
parte da minha vida

Chinela querida
Sei que faz parte da Grife
fiquei emocionado
fiquei preocupado
se eu não pudê usar esta chinela
fiquei emocionado
um pouco preocupado
se eu não pudê usar esta chinela

Linda Chinela...
Chine...
Chinela tão linda
Chinela Querida
Sei que vais fazê pasrte
Vai fazê paste
da minha vida

Entrei numa grife
E olhei uma chinela
Chinela tão linda
sei que vai fazê parte a da minha vida
Chinela tão linda
Eu a olhei
fiquei preocupado
fiquei mocionado
se a chinela eu não pude usá

Seis que é uma chinela
chinela querida
inda eu vou usar

VERDADES...

Ciclo
Jorge Vercillo
Composição: Jorge Vercilo/Dudu Falcão
Por Carine Silva/BA

Eu não sei o que me domina
E mesmo assim não penso em me livrar
Num fascínio de alma gêmea
Você em mim constrói o seu lugar

O amor se fez me levando além onde ninguém mais
Criou raiz, ancorou de vez, fez de mim seu cais
Lendo a rota das estrelas

Nesse abraço se fez um ciclo
Que não tem fim e é todo o meu viver
É como alcançar o infinito
Reflete em mim e volta pra você

O amor se fez me levando além onde ninguém mais
Criou raiz, ancorou de vez, fez de mim seu cais
Lendo a rota das estrelas

O amor surgiu como um em mil, por você eu vim
E assim será a me conduzir, sem mandar em mim
Como o vento e o barco a vela, que nos leva sem fim

ROMENIL SANTOS: CD DIVINA LUZ

ROMENIL SANTOS: CD DIVINA LUZ

domingo, 24 de julho de 2011

O espírita e a morte da cantora inglesa Amy Winehouse

Fonte:http://amigoespirita.ning.com/group/artigosespiritas/forum/topics/o-esp-rita-e-a-morte-da?xg_source=shorten_twitter

O espírita e a morte da cantora inglesa Amy Winehouse

Wellington Balbo – Bauru - SP

Vi pela televisão a notícia da morte da cantora inglesa Amy Winehouse.
Diz a polícia que está investigando, mas levantam a hipótese de overdose. O álcool e as drogas em geral são motivos de tortura para o Espírito, pois ele sofre um bocado em conseqüência de seus vícios.
Em pesquisa realizada sobre os motivos que leva alguém a se matar o álcool tem papel de destaque. E não é por suicídio inconsciente não, é suicídio direto mesmo. O álcool além de aproximar o cidadão de influências espirituais perniciosas proporciona um curto circuito no indivíduo que, não raro, acaba se matando de forma abrupta ou em doses homeopáticas ,ou seja, de caninha em caninha.
Mas não quero falar aqui dos vícios da cantora. Pobre coitada, devia sofrer muito e desencarnada então deve estar em situação nada feliz.
Direcionaremos, portanto, os comentários para a falta de educação de algumas pessoas quando ocorrem fatos deste naipe envolvendo gente famosa ou nem tanto.
Os exaltados e precipitados logo taxam: Drogada! Bem feito! O mundo não perdeu nada!
O cristão não deve agir assim, pois é faltar com o mais elementar exercício de caridade.
O pior é que grande parte das pessoas que estão conectadas aos acontecimentos se arvoram em taxar e julgar o comportamento do famoso ou até do anônimo que se foi. Da língua quase ninguém escapa. Como se o cantor, artista ou jogador não fosse um Espírito em estágio evolutivo.
Essas figuras que aparecem na televisão e são denominadas de ícones ou ídolos são, em realidade, nossos irmãos que merecem nessas horas ou a prudência de nosso calar ou, orações, a fim de que suas dores possam ser ao menos diluídas.
No entanto, como já citamos, observamos comentários mal educados provindos de gente que se diz cristã.
Lamentável!
Esses comentários maldosos, conforme já dissemos, advém da falta de caridade.
E sendo a caridade uma bandeira defendida por Kardec o espírita deve esforçar-se por praticá-la em sua mais ampla acepção.
No caso da cantora inglesa, o que seria, então, caridade?
Orar por ela, ou, ao menos, calar-se para não emitir pensamentos destrutivos em direção à alguém que já se destruiu o suficiente.
Percebe-se ai que o espírita tem o dever de lutar contra suas tendências de fofocar e mal dizer a vida alheia.
Se ela morreu por overdose. Oremos ou calemos.
Os mais conscientes irão orar.
Os indiferentes se calar.
Os maldosos fofocar.
Em qual desses quesitos nos encaixamos?
Quando Jesus disse vigiar certamente Ele também se referia ao vigiar o que dizemos em frente à televisão, comentamos com os amigos ou postamos na rede mundial de computadores.
Pensemos nisso.

 

 

Wellington Balbo (Bauru – SP)  

Wellington Balbo é autor do livro "Lições da História Humana", síntese biográfica de vultos da História, à luz do pensamento espírita, palestrante e dirigente espírita no Centro Espírita Joana D´Arc, em Bauru. 

wellington_plasvipel@terra.com.br

Blog: http://wellingtonbalbo.blogspot.com/



 

 

Tags: AmyBalboWellingtonWinehousecantorainglesamorte


sábado, 23 de julho de 2011

VOCÊ TEM ALGUMA DÚVIDA?

Ta Escrito
Grupo Revelação

Quem cultiva a semente do amor
Segue em frente e não se apavora
Se na vida encontrar dissabor
Vai saber esperar sua hora
Quem cultiva a semente do amor
Segue em frente e não se apavora
Se na vida encontrar dissabor
Vai saber esperar sua hora
Às vezes a felicidade demora a chegar
Aí é que a gente não pode deixar de sonhar
Guerreiro não foge da luta não pode correr
Ninguém vai poder atrasar quem nasceu pra vencer
É dia de sol, mas o tempo pode fechar
A chuva só vem quando tem que molhar
Na vida é preciso aprender
Se colhe o bem que plantar
É Deus quem aponta a estrela que tem que brilhar.
Erga essa cabeça, mete o pé, e vai na fé
Manda essa tristeza embora.
Basta acreditar que o novo dia vai raiar
Sua hora vai chegar.

ARTISTAS,TALENTOS E INQUIETAÇÕES ESPIRITUAIS:UMA BREVE ANÁLISE

Por Manoel Trajano



Com a notícia de hoje da desencarnação de Amy Whinehouse, mais uma tristeza se abateu sobre mim, não por causa da pessoa em si,que eu não conhecia na intimidade para chamar de amiga mas pelo seu talento nato,inquestionável e desperdiçado por aquilo que já sabemos o desfecho de quem,pelo livre arbítrio,opta pelo caminho das drogas e que sirva de alerta para os jovens que ainda tem quem os faça pensar que maconha não faz mal e os fazem crer numa liberdade irresponsável e irrestrita demagoga que não vê limites,ou pela cocaína,pela heroína ou drogas mais "acessíveis"e destruidoras como o crack e a OX. O que o mundo precisa acordar é que o álcool também é uma droga que não se vende em drogaria, mas em Postos de (In)conveniência, supermercados,mercadinhos,nas ruas sem o mínimo controle que se deveria ter,aliás nem um terço do que se faz para inibir o tabagismo (campanhas mostrando doenças,mutilações,mortes)e que obrigou uma revisão nas campanhas de marketing dos fabricantes (Dica de Filme"Obrigado por fumar"com Aaron Eckhart). Mas Amy foi apenas mais um daqueles espíritos que não cabiam em si de tanto talento e vontade de crescer e dar seu recado através de suas composições de sua vida pessoal difícil nascida no subúrbio de Londres. Temos outros exemplos na história de talentos precoces desencarnados precocemente* como Cássia Eller, Elis Regina,Elvis Presley,James Deam,Jim Hendrix,Renato Russo,a banda Mamonas Assassinas.Artistas que são ou já foram dependentes químicos como João Ubaldo Ribeiro,Zeca Pagodinho,Martinho da Villa,entre outros. Há tambem aqueles que não são tão famosos assim e pagam um preço caro por não saber lidar com a fama como jogadores de futebol que atropelam,matam,sequestram.Jovens como Rafael da Banda Polegar que teve que se tratar para lidar com as drogas. Tudo citado não é novidade para a mídia. Há atores e atrizes problemáticos de Hollywood que não sabem lidar com as críticas,assédio dos fãs e ação dos paparazzi como Stalonne,Tom Cruise,Nicolas Cage,entre outros. Que o diga Lindsay Lohan tantas vezes pega,presa e condenada.Não se consertam.Aqui no Brasil tem muitos exemplos de artistas envolvidos com problemas de dependência química,síndrome do pânico,entre outras. Doenças morais e físicas comuns na vida das pessoas mas que são potencializadas pela exposição,pela cobrança de resultados e criação,pelas válvulas de escape perigosas da extravagância e da autodestruição.

"E o pulso ainda pulsa (Arnaldo Antunes/Titãs). São espíritos que ao longo de várias encarnações aprimoraram suas habilidades de criação e exposição artística, seja ela musical,pictográfica,literária,dramatúrgica, enfim ao que parece o corpo parece ser pouco para a sua manifestação que quer transcender os limites físicos movidos por ansiedade, insegurança, necessidade de prova para si ou família,amigos,sociedade de sua capacidade diferenciada, mesmo que inconsciente e o estado de alteração quando não suficiente, é conseguido por recursos alucinógenos,psicotrópicos e tranquilizantes não obtidos com a inspiração natural e criativa de cada ser. Parece ser a busca de um estado de nirvana buscado como uma sede no pote de uma fonte inesgotável. Sem o trocadilho da palavra o vocalista da banda Nirvana, Kurt Cobain, suicidou-se através de uma overdose de drogas. É isso mesmo! Suicídio muitas vezes gradual, paulatino ou quando no caso de Amy,somado ao brusco e mortal ato, após um tempo de tratamento e recaída que já havia sido mostrada na Turnê no Brasil.

A branquela de voz negra tal qual Janes Joplin, Mick Hucknall nos deixará saudades. Com certeza aparecerão os hipócritas de plantão falando mal e julgando o mal exemplo das drogas que levou ela ao caminho sem volta,assim como aquele correio que criaram em nome de uma psicóloga falando mal de Cazuza e ignorando seu legado. Cazuza, Freddie Mercury,Renato Russo,Rock Hudson são exemplos que foram vítimas da AIDS numa época em que se desconhecia os riscos, os tratamentos que hoje fazem a diferença. Viveram o preconceito e o isolamento da mídia marrom e das pessoas que na sua condições de juízes até hoje emanam pensamentos deletérios obsessores de encarnado para desencarnado como se não tivessem a trave nos seus olhos,pontuado pelo maior dos psicólogos Jesus Cristo. Precisamos voltar ao Sermão do Monte de nossas consciências e aprender a rever a misericórdia que não temos,pois precisamos chorar para sermos consolados. Que o diga Michael Jackson que apanhava por cada nota que desafinava,teve seus traumas, foi acusado de pedofilia (eu não acredito) e virou motivo de piada com seu vitiligo,sua voz de criança e até foi acusado de vergonha de ser negro.Não está mais aqui para se defender,afinal somos perfeitos julgadores sem defeitos,sem limitações,sem problemas em casa nem no trabalho. Que tal irmos para a vitrine e sermos visto por todos num reality show.Assim seremos lá os santos de sempre.

No livro "Faz parte do meu show", de Robson Pinheiro que fala da vida de Cazuza no plano espiritual mostra que lá ele chegou e foi tratado acompanhado junto a outros espíritos do meio artístico como Chacrinha, entre outros na mesma faixa vibratória(não quer dizer que todos bebiam,usavam drogas em geral,etc)mas sim que estavam alinhados na mesma esfera psíquica e na região ligada ao Brasil. Todos eles voltaram para a Pátria Espiritual, foram e estão sendo tratados em níveis cada qual diferente tais quais os anos letivos de uma escola. Amy também será recebida e estará inicialmente em processo difícil e sofrido,será recolhida conforme merecimento e solicitação pela Espiritualidade Maior conforme os desígnios do Pai regido pela consciência que se encontra cada um e necessitará resgates dolorosos e que merecem a misericórdia de todo o plano espiritual,incluindo a nossa pois é dando que se recebe e quanto mais julgamos seremos julgados pelo juizo final da nossa consciência e aí decidiremos assim se queremos paz ou dor,saúde ou doença pelo que atraímos para nosso campo.Isso vale para os dois mundos.

Oremos sempre,por eles e por nós,em especial aqueles que estão no mesmo processo na Terra,porque os primeiros voltarão melhores um dia e terão uma nova chance de nos dar alegria aos ouvidos,como Amy nos deu.E nós estaremos aqui para ouvir?Depende do que fizermos agora com nossos pensamentos.Sejamos bons,pratiquemos a caridade tambem pelo amor da prece sincera e verdadeira. A mídia massificará as drogas para proteger nossos jovens,mas infelizmente ela atacará também um espírito que precisa de luz e receberá julgamentos inquisidores.

Paz e Luz,Amy e a todos que se encontram em recuperação no mundo espiritual e aqui nos leitos,nas casas,nas ruas.A solução é evangelizar em casa,dar bom exemplo e educar,sempre!


Manoel Trajano é Engenheiro Civil,de Segurança do Trabalho e de Gás Natural e mora em Salvador-Bahia
Palestrante Espírita e Coordenador da Rede CEIA - http://ceianet.blogspot.com

QUE DEUS ESTEJA SEMPRE COM VOCÊ,AMY. SAUDADES!






Amy Winehouse ficou marcada por sua musicalidade e pelo excesso de álcool

GUILHERME RIBEIRO

A polêmica-originalíssima-vanguardista e agora ainda mais lendária e inesquecível Amy Winehouse, entre todos os adjetivos que cabem em uma das cantoras que mais despertou reações de amor e ódio em seu público, teve o fim que milhões de pessoas em todo o mundo imaginavam e temiam, mas com uma rapidez maior do que qualquer imaginação pudesse prever.

Aos 27 anos de idade, Amy Winehouse, um dos maiores - senão o maior - ícones da música britânica da última década, foi encontrada morta em sua casa na manhã deste sábado (23), em Londres. As causas da morte não foram divulgadas, mas pelo histórico de consumo exagerado de álcool e drogas que sempre rondou a carreira de Amy, existem fortes suspeitas de que ela tenha falecido por overdose.

Amy Jade Winehouse nasceu em 1983 no subúrbio de Londres, em uma área conhecida como Southgate. Apesar das origens judaicas, sua família sempre foi ligada ao jazz norte-americano, fato que 10 anos após seu nascimento, serviria como a maior influência para o início da carreira maluca de Amy.

Ao completar a primeira década de vida, Winehouse montou sua primeira e breve banda sob as influências da música urbana, chamada 'Sweet' n Sour, as Sour'. Sem muito sucesso, a brincadeira de criança terminou em pouco tempo. A música então só perdeu o tom de infância – apesar de nunca ter se profissionalizado ao extremo – aos 16 anos, quando começou a cantar soul ao lado do amigo Tyler James.

Por incrível que pareça, Amy era extremamente tímida quando precisava soltar a voz. Seus pais mesmo não tinham muitas expectativas e duvidavam do talento dela. Mas, pelo que conta a história, Amy já foi centrada e, à época, continuou cantando em bares e pubs de Londres até ser descoberta pela Island Records, cujos produtores estavam à procura da 'dona da voz de blues e jazz' da noite londrina.

Pela Island, Amy lançou em 2003 seu disco de estréia 'Frank', trabalho que, um ano depois, a apresentaria a todo o mundo com 900 mil cópias vendidas somente na Inglaterra, mais de 3 milhões em todo o mundo e ainda uma indicação ao Mercury Music Prize. Mas tudo ainda estava só começando.

Se com 'Frank' Amy já impressionou o mundo com sua mistura de jazz, blues e soul; foi em 2006, com o lançamento de 'Back to Black', seu segundo disco de estúdio, que a cantora extrapolou os limites da fama britânica de vez e se tornou referência eterna no mundo da música. O álbum vendeu mais de 30 milhões de cópias em todo o mundo e lhe rendeu seis indicações ao Grammy 2008, das quais venceu cinco: Artista Revelação, Gravação do Ano, Melhor Disco Vocal Pop, Melhor Performance Vocal Pop Feminino e Canção do Ano (Rehab). O single mais conhecido da cantora, apesar da cara 'retrô', foi eleito pelos críticos como uma das músicas mais influentes da primeira década dos anos 2000.

Já consagrada como um marco da história da música não só britânica, mas mundial, Amy tinha um batalhão de milhões de pessoas no aguardo de seu terceiro disco de estúdio, que começou a ser produzido em 2008 em parceria com o Mark Ronson. O produtor havia recebido a missão de salvar as composições depressivas de Amy, quase todas com referências ao seu ex-marido Black Fielder. O processo de composição do disco havia sido paralisado diversas vezes para tentativas fracassadas de reabilitação das drogas e do álcool, até que veio a promessa de que seria lançado ainda em 2011. Diante dos ocorridos, esse promete ser o disco póstumo mais esperado de todos os tempos.

DROGAS A carreira de Amy Winehouse sempre foi rodeada por problemas com sua saúde física e mental, quase todos causados pelo excesso de drogas e, na medida que sua fama crescia, suas crises se tornavam cada vez mais exploradas pela mídia fuxiqueira.

O primeiro caso que chegou às revistas de celebridades se deu em agosto de 2007, pouco mais de um ano após o lançamento de 'Back to Black'. Na ocasião, Winehouse foi internada com suspeita de overdose de múltiplas drogas, fato que logo depois serviria de pretexto para o cancelamento de uma série de shows na Europa.

As drogas, principalmente o álcool, acabaram levando a cantora pra 'rehab' duas vezes: a primeira em 2008 e a segunda em maio deste ano, quando voltou a se internar na clínica Priory, em Londres, para mais uma tentativa frustrada de reabilitação. Na época, o jornal "The Sun" revelou um possível ultimato que a cantora havia recebido dos médicos. Segundo eles, ela iria morrer se não parasse de beber.

O álcool ainda foi motivo de decepção para grande parte dos admiradores que compraram ingressos para os shows de Amy em todo o mundo. Suas apresentações que mais pareciam um show de trapalhadas eram marcadas por letras esquecidas, tombos circenses, notas desafinadas, e tantas outras peripécias que polarizavam o público entre o amor e o ódio.

Quando veio ao Brasil, em janeiro deste ano, não foi diferente. Não faltaram vacilos com horário, com as letras e com a motivação da cantora. Sua apresentação foi, quase que unânime, muito inferior à de Janelle Monáe, cantora norte-americana escolhida para abrir os shows da turnê.

O estopim para as crises de Amy em frente ao público foi em sua volta da rehab, há cerca de dois meses, quando foi vaiada por se apresentar embriagada no primeiro show da turnê de reestréia, na Sérvia. Aquelas vaias jamais seriam ouvidas se os fãs soubessem que aquela seria a última apresentação da agora lendária Amy Jade Winehouse.


Fonte: http://mtv.uol.com.br/musica/amy-winehouse-1983-2011



--