Páginas

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

TODOS SOFREM EM ALGUM MOMENTO DA VIDA

Lambada de Serpente
Djavan

Cuidá dum pé de milho
Que demora na semente
meu pai disse meu filho, noite fria, tempo quente
Lambada de serpente
A traição me enfeitiçou
Quem tem amor ausente já viveu a minha dor
No chão da minha terra
Um lamento de corrente
Um grão de pé de guerra
Pra colher dente por dente
Lambada de serpente
A traição me enfeitiçou
Quem tem amor ausente já viveu a minha dor

Nenhum comentário: