Páginas

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

O CARNAVAL MAIS FELIZ DE MINHA VIDA FOI ASSIM...





Comentar sobre a Banda Cheiro de Amor para mim é como comentar sobre mim mesmo e como esta marca,esta alegria,esta imagem se identificou comigo durante minha fase iluminada entre infância e adolescência. Lembrar de Márcia Freire com toda sua energia,carisma,agito e comando da folia na época em que o Carnaval era sinônimo de festa de paz,tomar chuva no Farol da Barra às 5 h da manhã no Encontro de Trios Elétricos sem se preocupar em ser assaltado ou tomar um "soco perdido". O Cheiro é o que é hoje na forma e conteúdo graças ao que ela construiu na base junto com a competente banda que tambem compunha as letras e canções,com outros compositores ilustres da nossa música como Carlos Pita. Depois veio a fase de Carla Visi que embora carismática,talentosa e tentasse contagiar teve o desafio de substituir a grandeza da anterior e não durou muito. Carla tem mais o perfil de MPB e está na ativa hoje,discretamente. Aline Rosa chegou com toda sua energia,juventude e fez ressurgir a marca Cheiro que andava meio em baixa,ainda sentindo a falta de Marcia,mas veio com uma cara adequada aos novos tempos,arrojada,elétrica,talentosa também num ritmo em que a exigência do mercado e das festas pelo Brasil afora exige preparo físico constante e faz jus a marca. Mas esquecer o Cheiro de Amor que nasceu e arrasou nas décadas de 80 e 90 com Marcinha é difícil e ainda tem no Bloco e Banda a sua cara. LQM homenageia esta banda que jogava água de cheiro pelas laterais do trio elétrico num tempo em que a Vigilância Sanitária não pegava no pé com riscos de alergia(não conheço nem soube de ninguem que tenha tido...rsss).

Tema do Cheiro de Amor
Cheiro De Amor
Por: Manoel Andrade/BA



Sim, é um jardim "mui" delirante
Com mil e um lances
De brilho e de cor

É a mistura mais pura
É a mais pura mistura do Cheiro de Amor

Quem, quem sabe um dia
A gente se encontra lá
Com amor e prosa
Nos dias de carnaval

Sentir a alegria de poder estar
Sentindo a magia no meio das rosas
Fantasia

Ô, ô, ô, ô, ô, ô
Cheiro de Amor!
Ô, ô, ô, ô, ô, ô
Cheiro de Amor!

Salassiê
Cheiro De Amor
Composição: Carlos Pita


Salassiê era um rei
Que gostava de reggae
Bob Marley era um rei
Que gostava de reggae

A bola no pé de Pelé
O Bispo Tutu tem a fé
Que um dia essa gente
Será livre

Mandela e Biko e Tyson
Muhammad Ali
Quilombos de Milton, Gusmão e Gilberto
O rei é Zumbi
Rei Zumbi

Da África, mãe do leão
Dos deuses, tambor de ijexá
Emana esse grito nação
Que um dia virá

Zimbábue, Luanda
Palmares de São Salvador
Caribe, Guianas, América negra
Palavra de amor
Reggae é amor


Rebentão
Cheiro De Amor
Composição: Carlos Pita



Moro numa cidade cheia de ritmos
Que sobe e que desce ao som da maré
Ela canta, ela dança
Ela toca, ela vibra
Ele bate com a mão
Ela dança com o pé
Ele faz samba na porta do ônibus
71-Liberdade é o negro do ilê
Ela dança com a lata na cabeça
Sua trança bonita, ela é badauê

Iô, iô, iô, rebentão
Iô, iô, iô, de maré
Ele bate na palma da mão
Ela dança com a ponta do pé

Moro numa cidade cheia de ritmos
Que sobe e que desce ao som da maré
Ela canta, ela dança
Ela toca, ela vibra
Ele bate com a mão
Ela dança com o pé
Eles passam cantando com a tribo em festa
É muzenza na cor, é muzenza na fé
Basta ouvir os tambores tocando
Que a cidade já sabe Olodum como é


Canto Ao Pescador
Cheiro De Amor



Jogou sua rede
Oh, pescador!
Se encantou com a beleza
Desse lindo mar
Dois de fevereiro
É dia de Iemanjá
Levo-te oferendas
Para lhe ofertar
E sem idolatria
Olodum seguirá
Como dizia Caymmi
Insigne o homem cantando a encantar

Minha jangada vai sair pro mar
Vou trabalhar meu bem querer

Sei que o mar da história é agitado
E o Olodum a onda que virá
Em forma de dilúvio vem me despertar, amor
Em forma de dilúvio vem exterminar

Com seqüelas racistas
E trazendo ideais de amor e paz
Oloxum, Inaê, Janaína
Mara, Mara, Mara, Marabô, Caiala
Sobá

Viaja, ê
Se baila
Me leva, Olodum, em tua onda
Que eu quero ir (viajar)

Olodum, navio negreiro
Atracou em Salvador
Trouxe a música emitindo ideais da negra cor
E hoje exalta o mar, condutor da embarcação
E hoje exalta o mar, condutor da embarcação

Viaja, ê
Se baila
Me leva, Olodum, em tua onda
Que eu quero ir (pro mar)

Minha jangada vai sair pro mar
Vou trabalhar meu bem querer

Se Deus quiser
Quando eu voltar do mar
Um peixe bom eu vou trazer
Meus companheiros também vão voltar
E a Deus do céu vamos agradecer

Balança Coqueiro
Cheiro De Amor


Não venha me dizer que o que aconteceu
Entre nós foi chuva de verão
Já diz o ditado, quem cala consente
Eu não vou desistir, você nasceu pra mim

E mexe meu amor flor do pecado
Coração apaixonado, se amarra por ti
Se achas que amar não vale a pena
Se entrega minha pequena, eu vou lhe mostrar

E deixa o lero-lero, vem pra cá meu bem
Aqui nessa folia só entra quem tem
Paixão, calor, sedução
A cantar, sentir emoção

Ô balança coqueiro, cai côco uôô
Sacode,sacode e vem pra cá
Ô balança coqueiro, cai côco uôô
Sacode, a roseira e vem pra cá

Nenhum comentário: