Páginas

segunda-feira, 27 de junho de 2011

UMA SINGELA HOMENAGEM DO LQM ÀQUELES QUE LUTAM POR SUA IGUALDADE NA NOSSA SOCIEDADE!


Eu poderia listar as músicas que mais gosto do Mamonas Assassinas para celebrar tanto o filme sobre eles que vem por aí como aniversário de morte prematura de um grupo que dava alegria sincera e verdadeira a crianças,adolescentes,adultos e idosos. Imitação bem humorada e satirizante de figuras da nossa MPB, Dinho e banda só queriam se divertir,sorrindo e fazendo piada. Num momento em que direitos de ser feliz precisam de lei de suprema côrte para validar o que nos é mais natural como ser feliz, nada mais justo que defender aquela minoria que só quer amar e conquistar direitos que já são de uma sociedade dita "diferente" como se ser "diferente" fosse ser superior. A música abaixo cantada é uma paródia a um grande intérprete da MPB que também foi vítima de preconceito por sua orientação sexual. Dinho em nenhum momento menospreza e sim traz a nós uma reflexão sobre um personagem de um filme todo duro como um robô, tal qual nossa rigidez,inflexível e intolerante de aceitar o outro ser feliz.

Trajano

15 anos sem Mamonas










Robocop Gay
Mamonas Assassinas
Composição: Dinho / Júlio Rasec

Um tanto quanto másculo
Ai, e com M maiúsculo
Vejam só os meus músculos
Que com amor cultivei
Minha pistola é de plástico (quero chupar-pa)
Em formato cilíndrico (quero chupar-pa)
Sempre me chamam de cínico (quero chupaar...)
Mas o porquê eu não sei (quero chupar-pa)
O meu bumbum era flácido
Mas esse assunto é tão místico
Devido a um ato cirúrgico
Hoje eu me transformei
O meu andar é erótico (silicone yeah! yeah!)
Com movimentos atômicos (silicone yeah! yeah!)
Sou um amante robótico (silicone yeeah...)
Com direito a replay (silicone yeah!)
Um ser humano fantástico
Com poderes titânicos
Foi um moreno simpático
Por quem me apaixonei
E hoje estou tão eufórico (doce, doce, amor)
Com mil pedaços biônicos (doce, doce, Amor)
Ontem eu era católico (doce, doce, amoor...)
Ai, hoje eu sou um GAY!!!
Abra sua mente
Gay também é gente
Baiano fala "oxente"
E come vatapá
Você pode ser gótico
Ser punk ou skinhead
Tem gay que é Mohamed
Tentando camuflar:
Allah, meu bom Allah!
Faça bem a barba
Arranque seu bigode
Gaúcho também pode
Não tem que disfarçar
Faça uma plástica
Aí entre na ginástica
Boneca cibernética
Um robocop gay...
Um robocop gay,
Um robocop gay.
Ai... eu sei,
Eu sei
Meu robocop gay...
Ai como dói!



História dos Mamonas Assassinas vira filme e documentárioO humor e a irreverência do grupo [BP]Mamonas Assassinas:cds[/BP] será retratada em um documentário –Mamonas, o Doc – e um longa-metragem – Mamonas, o Filme, que vão contar a história da banda desde o início, quando eram conhecidos como Utopia, até o auge da carreira, em 1995 e 1996.Nenhuma das duas produções vai explorar o trágico acidente de avião que pôs fim a esta trajetória.

O documentário vai reunir cenas gravadas pelos integrantes do Mamonas e depoimento das famílias.o filme terá atuação de atores ainda desconhecidos interpretando o quinteto. A previsão de estreia é em abril. A direção é deCláudio Khans, que disse pretender provar que além de serem bem-humorados, o grupo era de bons músicos.

O que deve mesmo ser o forte destas produções é o carisma que o grupo tinha, desde as criancinhas até os adultos, todos sabiam cantar as letras de duplo sentido do Mamonas. A história documental já foi bastante explorada pela televisão desde o acidente e o que se espera é que haja novidades. Quanto ao filme, a atuação dos atores e o roteiro serão importantes para decidir a qualidade do mesmo.

Fonte:

http://www.entretendo.com/historia-dos-mamonas-assassinas-vira-filme-e-documentario/

Nenhum comentário: