Páginas

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

LQM HOMENAGEIA PAULO RICARDO

Voz marcante e inconfundível que une rock´n roll a romantismo de forma que é possível essa combinação sim,sem rebeldia e anarquia mas com inteligência,cuja herança do RPM deixou um legado de fãs e administradores que seguem seu respeitado trabalho. A roquidão vocal,o carisma,o charme e claro sua beleza fazem de Paulo Ricardo o ídolo de uma geração que aprendeu a cantar suas músicas sem vergonha de ser feliz e aprendendo a se declarar de forma contemporânea e respeitosa.Sua vivência em Londres lhe trouxe fluência num inglês sutil e bem cantado.Quem foi RPM,sempre será RPM e mais recentemente PR5!
Estou com você e não abro!Sucesso,sempre!








A Um Passo da Eternidade
Paulo Ricardo
Composição: Paulo Ricardo/Fernando Deluqui



Luz
Dissolvendo o breu
Luz
Você e eu
Na luz da anunciação
À chama de uma paixão

Tanto tempo
No mar errei
Tanto tempo
Procurando alguém
Tempo só
Tempestade
A um passo da eternidade
Olhos claros vêm me clarear
E a pureza vem me purificar
Vem matar a saudade
A um passo da eternidade

Quis
O mundo uma vez
Quis
Eu tive o que quis
Você
Dinheiro,papéis
E agora
Foram-se os anéis



Amor de Verdade
Paulo Ricardo
Composição: Marinho Marcos / Paulo Ricardo


Cada verso dessa canção é uma declaração de amor que eu faço a você
Cada rima cada expressão é a confirmação de tudo que eu quis te dizer
E a cada vez que você me ouvir, você vai sentir toda intensidade
E finalmente vai poder dizer, que você soube viver, um amor de verdade
Um amor, assim ninguém vai te dar
Ninguém vai poder separar
Ninguém vai jamais superar, enfim, todo esse amor que eu trago em mim
Um amor assim tão grande jamais
Pensei que existisse em mim
Só você meu bem, só você foi capaz de chegar e modificar tudo assim
Cada vez que eu penso em você, eu sei bem porque se no coração disparar
Cada vento cada oração, é pura paixão, é tudo que eu quero te dar
E a cada dia eu vou te mostrar, eu vou te provar que é verdade o que eu digo
Não, não tem perigo pode vir,comigo pode se sentir segura porque eu te amo
Um amor, assim ninguém vai te dar
Ninguém vai poder separar
Ninguém vai jamais superar, enfim, todo esse amor que eu trago em mim
Um amor assim tão grande jamais
Pensei que existisse em mim



A Chegada
Paulo Ricardo
Composição: Paulo Ricardo / Leo Henkin



A asa do avião, o coração
No meio da bagagem
O ticket na mão e a sensação
Que estamos de passagem

Nada a declarar
Só penso em chegar em casa
Pra poder te ver e te abraçar

As nuvens lá embaixo, o seu retrato
No meu celular
As luzes da cidade, e eu me pergunto
Onde você está

Ah, se eu tivesse tipo um gps
Pra te localizar, meu anjo, lá do céu

Agora eu tenho que ir
E ficar sozinho
Pra seguir o meu caminho
De novo nessa estrada
Esperando a hora da chegada

O porto, a estação
O aeroporto, a rodoviária
O posto de plantão, o pôr-do-sol
Agora eu tô na área
E o tempo que passou
Parece que aumentou
O amor que se alimenta
Da saudade

Agora eu tenho que ir
E ficar sozinho
Pra seguir o meu caminho


Diz
Paulo Ricardo
Composição: Paulo Ricardo


Diz por que é que você não veio?
Não ve que as flores murcharam.
Depois de um dia e meio?

Por que você não telefonou?
Por que não me bipou?
Não me mandou um e-mail?

O que você fez não se faz não
Se você não quer me ver mais
Não diga que sim quando quer dizer não
Como quem semeia ilusão

Por isso, meu amor, aceite essa canção
De alguém que te esperou em vão

Diz, primeira e ultima vez
Deixa eu ouvir tua voz
Dizer, quem sabe, a verdade

Não, não é preciso chorar
E nem precisa ficar
Me olhando dessa maneira
Talvez você nem saiba o que você faz
E que não tem nada de mais
Você esqueceu, sabe lá o que te deu
Talvez eu não seja capaz

De compreender o amor
Reconhecer os erros
Os erros que são meus e seus

Se por acaso chover
Pode saber que sou
Chorando pra te dizer adeus.

Dois
Paulo Ricardo
Composição: Paulo Ricardo & Michael Sullivan



Quando você disse nunca mais
Não ligue mais, melhor assim
Não era bem
O que eu queria ouvir
E me disse decidida
Saia da minha vida
Que aquilo era loucura
Era absurdo...

E mais uma vez você ligou
Dias depois, me procurou
Com a voz suave
Quase que formal
E disse que não era bem assim
Não necessariamente o fim
De uma coisa tão bonita
E casual...

De repente as coisas
Mudam de lugar
E quem perdeu pode ganhar
Teu silêncio preso
Na minha garganta
E o medo da verdade
Iêi!...

Eu sei que eu
Eu queria estar contigo
Mas sei que não
Sei que não é permitido
Talvez se nós
Se nós tivéssemos fugido
E ouvido a voz
Desse desconhecido
O Amor! O Amor! O Amor! O Amor!...

Essa voz que chega devagar
Prá perturbar, prá enlouquecer
Dizendo pr'eu pular
De olhos fechados
Oh! Oh!...

Essa voz que chega a debochar
Do meu pavor
Mas ao pular
Eu me vejo ganhar asas e voar
Oh!...

De repente as coisas
Mudam de lugar
E quem perdeu pode ganhar
Minha amiga, minha namorada
Quando é que eu posso
Te encontrar
Iêê! Iêê! Iêê!...

Eu sei que eu
Ah! eu queria estar contigo
Mas sei que não
Sei que não é permitido
Talvez se nós
Se nós tivéssemos fugido
E ouvido a voz
Desse desconhecido...

Eu sei que eu
Ah! eu queria estar contigo
Mas sei que não
Não, não, não, não
Não é permitido...

Nenhum comentário: