Páginas

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

QUANDO SE TEM UMA SEGUNDA CHANCE(É O LIMITE)

Volta
Gal Costa
Composição: Lupicínio Rodrigues



Quantas noites não durmo
A rolar-me na cama
A sentir tanta coisa
Que a gente não pode explicar
Quando ama...

O calor das cobertas
Não me aquece direito
Não há nada no mundo
Que possa afastar
Esse frio do meu peito...

Volta!
Vem viver outra vez a meu lado
Não consigo dormir sem teu braço
Pois meu corpo está acostumado
Mal acostumado...

Volta!
Vem viver outra vez a meu lado
Não consigo dormir sem teu braço
Pois meu corpo está acostumado...

Quantas noites não durmo
A rolar-me na cama
A sentir tanta coisa
Que a gente não pode explicar
Quando ama...

O calor das cobertas
Não me aquece direito
Não há nada no mundo
Que possa afastar
Esse frio do meu peito...

Mas Volta!
Vem viver outra vez a meu lado
Não consigo dormir sem teu braço
Pois meu corpo está acostumado
Mal acostumado...

Volta!
(Volta!)
Vem viver outra vez a meu lado
Não consigo dormir sem teu braço
Pois meu corpo está acostumado...
Mal acostumado, hum!
Volta!...

Nenhum comentário: